6 de jan de 2011

Onde Tudo Começou. Final.

Sophie foi ao primeiro dia de aula, se sentiu inicialmente deslocada. O lugar era grande e completamente desconhecido, mas mesmo assim, ela tinha sensações de conhecer algumas pessoas, às vezes. Sentou-se calada no canto da sala e não demorou muito para uma garota conversar com ela, e logo de cara fez uma grande amizade, Agatha. Elas eram inseparáveis e conversavam sobre tudo, inclusive sobre o que tinha acontecido com Sophie antes. Agatha gostava de garotas também, e aquilo já era algo muito normal para ela, então soube explicar e tirar várias dúvidas de Sophie.

Agatha e Sophie se davam a cada dia melhor, e ao longo do mês a garota fez ainda mais amizades. Uma em particular muito especial, com Evelyn, que era muito engraçada e querida por Sophie, elas sentavam-se perto na sala de aula e viviam de papo durante a mesma, as risadas não eram contidas muitas vezes e por isso recebiam olhares de repreensão dos demais alunos e professores. Com a garota, Sophie conheceu boa parte das outras fases e agora já possuía várias pessoas conhecidas ali e já não se sentia tão deslocada assim. Além do mais, Evelyn tinha um quê de mau caráter e estava a todo custo tentando levar Sophie ao Pub, que ficava perto da Universidade.

Um dia não resistindo á curiosidade, Sophie se rende á Evelyn e partem as duas para o tal Pub, levando consigo Agatha. O lugar estava completamente cheio, pessoas de todos os tipos e bebidas para todos os gostos, a música alta estava animando boa parte do pessoal, Sophie em particular não gostou nada daquele estilo, mas preferiu não falar nada sobre. Lá Evelyn encontra Jodie, uma velha amiga de sua antiga classe, que agora estava estudando na universidade vizinha. A menina apresenta Jodie ao resto das amigas e logo de cara Sophie simpatiza com ela, e acha até a garota bem interessante, as três amigas convidam a nova garota para beber, e ela senta-se não recusando a proposta.

Sophie começa a observar a garota, querendo tirar algumas conclusões, antes de iniciar algo ou algum interesse por ela. Era uma garota pequena, mal passava do ombro dela, tinha cabelos castanhos escuros, levemente picados um pouco abaixo do ombro, estava com uma regata preta, que destacava os seus peitos, que eram bonitos. Nesse momento Sophie parou o raciocínio, se espantou e pensou.

- Meu Deus Sophie, você está observando o peito de uma garota. O PEITO DA GAROTA. Mantenha o foco.

Voltou a observar, e percebeu que a garota tinha uma corrente de arco-íris muito fofa no pescoço, o que fazia ainda mais Sophie pensar coisas sobre ela.
Olha as horas e sai apressada do Pub, quase perdendo seu ônibus para a casa. Ele estava cheio, mas ela não se importa em ir de pé, apenas analisa demoradamente o dia passado e chega à conclusão de que ele foi muito proveitoso.

As semanas se passam, e Sophie e Jodie mantiveram o contato, agora elas eram amigas, trocavam músicas, filmes e compartilhavam da mesma vontade de ir viajar para a Holanda. As conversas com Jodie sempre eram muito divertidas e o interesse pessoal que Sophie sentia por ela, passou a se transformar em um enorme carinho, como de irmãs. Um dia, andando pela universidade, uma outra amiga de Jodie, confunde Sophie com Natalie e isso provoca muitas risadas e uma grande curiosidade de conhecer essa menina. Jodie fala rindo:

- Quer que eu te apresente ela? Não vai se apaixonar hein.

- Quero sim, que nada. Me apaixonar, não tão cedo isso. De verdade. Ela é legal?

- Quem, a Natalie? Ela é uma figura, tu vai adorar. Só prometa não deixa-la contar as piadas de pinto, por favor.

Sophie não entende o que Jodie quis dizer, mas mesmo assim promete, se despede e combinam de se encontrarem depois da aula no Pub. Mas o encontro não acontece, e outras tantas vezes elas saíram juntas, mas Sophie nunca conheceu a famosa Natalie, até esqueceu-se do tal encontro. Então em uma quarta-feira, a sala de Sophie sai pouco depois do início da aula, e vão ao Pub. O pessoal junta dinheiro e começam as rodadas de Chopp, até que Evelyn avista Jodie e acena. Jodie vem em direção á mesa do curso das garotas, quando Sophie percebe que há pessoas com ela, um garoto alto e magro, com um sorriso simpático no rosto e uma garota. A garota mais linda que ela já vira na vida, ainda mais bonita do que Audrey.

Ela era alta, com os cabelos negros, a pele branca, os olhos de um azul; da cor no mar no dia mais limpo que Sophie poderia lembrar na vida e um sorriso brilhante no rosto. Perfeitamente saída de um conto de fadas. Eles chegam na mesa e ela não consegue tirar os olhos da garota, ela tenta e muito. Mas há algo nela, algo naqueles olhos, o modo como ela encara as pessoas, que deixa Sophie desnorteada. Jodie dá um cutucão na amiga e ela se recompõe, mas ainda sim, fica tentada a olhar para a garota. Eles conversam animadoramente, Jodie, Agatha, Sophie, Evelyn e o garoto, que se chamava Brian. Mas a menina dos olhos cor de mar, só ouve calada, como se aquilo não importasse para ela, como se as pessoas dali fossem insignificantes e ela fosse uma deusa intocável. Isso aumenta cada vez mais o fascínio de Sophie por ela, como se tivessem acendido uma pequena labareda, um fogo latejante em seu corpo, que começou a subir e lhe trouxe conforto.

Sophie não entendia, mas sabia que não queria aquilo, sabia o que aquele calor traria e definitivamente ela não queria passar por aquilo de novo. Não tão cedo, não agora, que ela estava feliz. Não. Então Jodie olha para Sophie, olha para a garota e diz:

- Sophie, esta é Natalie. Natalie, Sophie.

A garota move a cabeça imperceptivelmente para observar Sophie, e fala:

- Oi.

Voltando sua atenção ao que as outras pessoas falavam.

Sophie sente o fogo se esvair, e uma onda de insegurança lhe percorrer o corpo, suas mãos suam e um nó se forma na garganta. Formula várias coisas na cabeça como:

- Não, cale a boca, não fale comigo, não quero gostar de você, saia daqui, não quero conversar...

Mas o que diz é apenas uma palavra simples:

- Oi.

Então tudo volta, todas as sensações de sete meses atrás e Sophie percebe, o que ela menos queria, como um sussurro em sua cabeça.

- Sophie Shalter, vai se apaixonar de novo. Sophie Shalter, vai se apaixonar de novo. Sophie Shalter, vai se apaixonar de novo. Sophie Shalter, vai se apaixonar de novo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário